Nossa História

A Fundação Educacional e Cultural São José, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos e de caráter filantrópico, com sede e foro no município de Itaperuna, Estado do Rio de Janeiro, registrada no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas – Cartório do 3º ofício da Comarca sob nº185, livro A.1 de Pessoas Jurídica fls. 410, está instalada na Rua Major Porphírio nº 41, Centro, Itaperuna – Rio de Janeiro, tendo por finalidade “instalar e manter estabelecimentos de ensino de todos os níveis admitidos pela atuação na área da educação promovendo assistência educacional inclusive gratuitamente”.

A história da mantenedora do Centro Universitário São José de Itaperuna mistura-se com a história local, já que a sua instituição se deu a partir do trabalho de um bravo lutador, o saudoso Padre Humberto Lindelauf, Pároco da Igreja Matriz de São José do Avahy que, embora alemão de nascimento, tornou-se itaperunense de alma e coração.

 

A inserção do Pe. Humberto na história de Itaperuna e da Fundação São José, se dá a partir de sua vinda para o Brasil, como missionário, somando forças para o desenvolvimento do município de Itaperuna. Iniciou suas atividades na Matriz São José do Avahy, ocasião em que, preocupado com a situação da educação no município, sobretudo no que dizia respeito à mão de obra especializada, vislumbrou a possibilidade da criação de um Ginásio Orientado para o Trabalho (GOT). A partir de então, fundou a Associação Educacional e Cultural São José, mantenedora do Ginásio São José, ainda na década de 1960, destinado a meninos carentes que realizavam oficinas de carpintaria, marcenaria, gráfica e torno mecânico, preparando os jovens aprendizes para o mercado de trabalho. Posteriormente, criou a Fundação São José, agora com o intuito de manter a Faculdade de Filosofia de Itaperuna (atual UNIFSJ), tão necessária ao desenvolvimento local e regional.

Durante a década de 1980, a então Fundação Educacional e Cultural São José passa a oferecer todos os Cursos da Educação Básica: Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio e Profissionalizante e, somente a partir do ano 2000, são implementados os cursos técnicos. Ainda na década de 1980, a Escola de Aplicação passa a destinar-se a aplicação prática do estágio supervisionado dos cursos de licenciatura, o que muito contribuiu para os acadêmicos à época.

Iniciou suas atividades no ano de 1968 com a instalação da Faculdade de Filosofia de Itaperuna – FAFITA, 1ª instituição de ensino superior da região, autorizada pelo Conselho Estadual de Educação, Ato de 26/04/68, publicado no Diário Oficial de 04/05/68, com os Cursos de Letras, Ciências Sociais, Pedagogia e Matemática, funcionando nas dependências do então Ginásio São José, a que veio se juntar, posteriormente, no ano letivo de 1972, o Curso de Estudos Sociais, com licenciatura de 1º grau.

A Faculdade de Filosofia de Itaperuna consolidou-se na região noroeste fluminense, sul capixaba e zona da mata mineira, tendo obtido o reconhecimento de seus cursos no ano de 1975, através do Decreto Federal nº 75.514, de 19/03/1975, publicado no D.O.U. de 20/03/1975.

Na medida em que crescia o conceito da Faculdade na região, também tornava-se imperiosa a necessidade de implantação de outros cursos. Com essa visão, a Entidade Mantenedora encaminha ao Conselho Estadual de Educação o projeto do Curso de Ciências Contábeis, a ser ministrado pela Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Padre Humberto – FACITA, cuja aprovação se deu através do Parecer CEE nº 471/86, que veio a ser reconhecido pela Portaria nº 748, de 06/05/1993, publicada no D.O.U. de 10/05/93. Posteriormente, autorizado pelo Parecer CEE nº 233, de 20/10/2001, publicado no D.O. de 22/11/2001, a Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Padre Humberto passou a contar também com o Curso de Comunicação Social – Jornalismo, tendo alcançado o seu reconhecimento pelo Parecer CEE nº 027/2007, de 26/09/2007, publicado no D.O. de 02/10/2007.

Nos idos de 1999, foi autorizado o funcionamento do Curso de Tecnologia em Informática, Parecer CEE nº 027/2000, de 21/12/1999, publicado no D.O. de 28/01/2000, a ser ministrado pela Faculdade de Informática de Itaperuna – FAINITA, cujo reconhecimento se deu pelo Parecer CEE nº 1.182/2002, de 17/12/2002, D.O. de 20/05/2003.

No limiar do novo século, a Fundação submete ao egrégio Conselho de Educação do Estado do Rio de Janeiro a proposta de integração das Faculdades de Filosofia de Itaperuna – FAFITA, de Ciências Humanas e Sociais Padre Humberto – FACITA e de Informática – FAINITA, criando as Faculdades Integradas Padre Humberto – FIPH, tendo obtido autorização emitida pelo Parecer CEE Nº 108/03, de 21/08/03, D.O. de 05/09/03.

Em 2008, a Fundação solicitou ao Conselho Estadual de Educação o credenciamento do Centro Universitário São José de Itaperuna – UNIFSJ, por transformação das Faculdades Integradas Padre Humberto – FIPH, tendo obtido o credenciamento pelo Parecer CEE nº 007, de 03/03/2009, publicado do D.O. de 12/05/2009.

O Centro Universitário São José de Itaperuna respondeu até o dia 10 de novembro de 2011, aos preceitos legais de ordem Estadual emanadas do Conselho Estadual de Educação. Posterior a esta data e, por força do Edital n° 01/2011, o UNIFSJ deixa de responder à autarquia Estadual, passando a responder aos preceitos e fundamentos legais do Ministério da Educação e Cultura- MEC- passando a compor o Sistema Federal de Educação.

Atualmente o Centro Universitário São José de Itaperuna oferece os cursos de Administração, Biomedicina,Ciências Contábeis, Enfermagem, Farmácia, Psicologia, Matemática, História e Letras, além de cursos de Pós-graduação lato sensu nas áreas de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, Ciências Exatas e da Terra, Ciências da Saúde e Linguística, Letras e Artes. Até 2011 o Centro Universitário José de Itaperuna era supervisionado pelo Conselho Estadual de Educação do Estado do Rio de Janeiro, e migrou no ano 2011 para a supervisão do Ministério da Educação – MEC.